Atrativos Turísticos

Ponte de Ferro-Rio das Antas


Segundo o ferreiro Eliseu Menin, empreiteiro de obras de obras da ponte, as obras foram iniciadas em 29.11.1928 durante o governo Getúlio Vargas, então presidente de Estado. O engenheiro da obra o Dr. Heitor Mazzini, que residia em Garibaldi. O fiscal Orestes Banalli. Eliseu Menin era o empreiteiro e tinha cerca de 200 operários. Prestaram grandes serviços os srs. Ângelo Venson e Ângelo Antonello, donos de serrarias uma de cada lado do rio.
Haveria duas pedreiras uma de cada lado do rio, fornecendo material. Foi construído um pilar de 22 metros de altura, no meio do rio. As Barras de ferrovia de Garibaldi onde eram construídos, na oficina da Viação Férrea do Rio Grande do Sul. Eram transportadas de trem até Nova Vicenza (hoje Farroupilha) e daí em carretas até o passo.

O Dr. Getúlio Vargas visitou as obras em 1929, acompanhado pelo Intendente Francisco Marcantônio, o Dr. Fernando de Abreu Pereira, o Dr. João Fernandes Moreira Secretário das Obras Públicas, o Dr. Fernando de Abreu Pereira, Diretor Geral da Viação Férrea, engenheiro Pereira da Cunha da Diretoria de Obras e Viação. Os trabalhos prosseguiram com normalidade, não se registrando acidente algum.

A inauguração deveria ocorrer no dia 12.10.1930, enquanto a ponte permaneceria fechada com correntes, tendo uma placa na entrada. Mas irrompeu a Revolução e no dia três de outubro, 21 caminhões do Exército, sob o comando de Benjamin Vargas, dirigiram-se a São Paulo, chegando à ponte desamarraram as correntes, dispararam tiros de fuzil até na própria placa, dando assim por inaugurada a ponte Getúlio Vargas, nome que não pegou. Hoje é chamada popularmente de “ponte de ferro”.

Ponte de Ferro-Rio das Antas